Ana Brandão

Formou-se como actriz no Curso de Actores do Instituto Franco Português.

O seu percurso teatral caracteriza-se pela relação continuada que mantém com alguns criadores e Companhias Teatrais entre estes salientamos: O Teatro O Bando, com quem trabalha desde 1993 participando entre outras nas seguintes peças “Gente Singular” “Ensaio sobre a cegueira”, “A Quarentena”; Os Primeiro Sintomas com quem colaborou em “A Menina Júlia”, “Lear”; O Novo Grupo - Teatro Aberto, companhia em que fez parte do elenco de “O bobo e a sua mulher esta noite na Pancomédia”, “A ópera de três vinténs” e “Imaculados”. Trabalhou também com A BARRACA, O ÚTERO, A MALA VOADORA, Nuno Cardoso, Gonçalo Amorim e Nuno Nunes. Em 2006 participou na ópera “Pollicino” de Werner Henze.

Em cinema trabalhou com os realizadores João César Monteiro, José Filipe Costa, Raquel Freire, Jorge Cramez, Margarida Gil, entre outros.

Em televisão participou em telenovelas e séries.

Paralelamente, tem desenvolvido uma carreira musical como cantora, na qual se destacam, as colaborações com Carlos Bica, de que resultou o cd editado DIZ, bem como, os projectos que actualmente desenvolve com o pianista João Paulo Esteves da Silva e com o REAL COMBO LISBONENSE.

Foi nomeada para melhor actriz de teatro em 2004 para os Globos de Ouro e em 2013 para melhor actriz de cinema para os prémios SPA.