Flávio Hamilton

Flávio Hamilton, nascido em Cabo Verde a 28 de dezembro de 1976 na cidade do Mindelo, ilha de São Vicente. O primeiro  contacto com o teatro aconteceu por volta dos  17 anos, ainda em Cabo Verde, na Escola Salesiana do Mindelo. Ingressou no curso de iniciação teatral no Centro Cultura lPortuguês do Mindelo (CCPM). Curso esse então ministrado pelo encenador Luso-Cabo-Verdiano, João Branco, director artístico da AssociaçãoMindelact, que organiza o festival homónimo na ilha de São Vicente no mês de Novembro. Foi então convidado a fazer parte da companhia do CCPM, tendo aí protagonizado alguns dos seus espectáculos. No ano de 1999 entrou em contacto com a Academia Contemporânea do Espectáculo(ACE) na cidade do Porto onde se formou em interpretação teatral. Terminou os estudos na ACE no ano de 2002, apresentando como trabalho final (Prova de Aptidão Profissional), a peça “As Águas”, apartir do Romance “Chiquinho” do autor cabo-verdiano Baltasar Lopes da Silva, com encenação de José Carretas. É actor profissional desde o ano 2002, tendo participado já em diversos espectáculos e festivais de teatro, tanto nacionais como internacionais. Trabalhou na Covilhã, com o Teatro das Beiras, em Aveiro, com a Efémero, em Vila do Conde, com o Teatro de Formas Animadas, no Porto, com o Teatro do Bolhão, a Panmixia, a Astro Fingido. Colaborou  ainda esporadicamente com várias outras estruturas da cidade do Porto em projectos variados. Fundou  na cidade do Porto a Burbur - Associação Cultural. Uma associação de carácter lusófono que se dedica à pesquisa e produção literária, musical, audiovisual e teatral. Entre actores, encenadores e formadores, trabalhou  com vários profissionais do teatro, como por exemplo, António Capelo, Natália Luiza, João Paulo Costa, Fernando Moreira, Marcelo Lafontana, Sandra Mladenovitch, Kuniaki Ida, José Leitão, José Caldas, Sílvia Filipe, Romi Soares, João Mota, José Pinto, Miguel Seabra, Rogério de Carvalho entre outros.  No cinema, destaca-se a longa metragem Os Dois Irmãos, como protagonista, a partir do romance do mesmo nome, do autor Germano Almeida, com realização de Francisco Manso e produção de José Mazeda (Take 2000), com estreia marcada para o início do ano 2019.