Ismael Calliano

Nasceu em Outubro 1991 em Moçambique. Vive em Portugal desde os 8 anos. Formou-se como actor pela Academia Contemporânea do Espectáculo (2008/2011). Fez vários Workshop de Dobragem, Realização e  DJaying.

É um dos escritores/poetas da “Cave” do Pinguim Café, e colaborou para o Suplemento Poético “Nem só de Gin Vive o Pinguim”.

Publicou a Plaquete – conjunto de textos, poemas e ilustrações, da sua autoria – denominada Campo de Batalha, em parceria com a Apuro Edições e o Pinguim Café. É também diseur.

Trabalhou com artistas do meio, tais como; João Paulo Costa, Joana Providência, António Capelo, Kuniaki Ida, Elóy Monteiro, Victor Hugo Pontes, Maria do Céu Ribeiro, Pedro Lamares, Teresa Lima, Rui Spranger, Eduardo Leal, Fernando Leiras, entre outros.

Em Teatro, participou nas peças “Poesia para quem acha que não gosta”, “Gira Mundo”, “O Lobo Sou Eu”, “Anúbis Chacal – Performance Poética” com dramaturgia sua e execução musical de André Martins, “Um lugar na Noite”,  “Édipo”, “Na poesia das canções” e “Punk Rock”. Escreveu, produziu e encenou a peça “Desabafos do Henrique Cimento”,

No Cinema participou nos filmes “Tiro e Queda” e  “Mau Mau Maria” e nas Curtas-Metragens “O Livro de Tudo”,  “Nunca Pensei que o Bairro Viesse Mesmo Abaixo”  e “Mixar Caminhos”.

Em Televisão participou no tele filme “O Livro de Tudo”, de Joana Alves e nas séries “O Alto” e “O Nosso Cônsul em Havana”. Participou ainda em “Poesia na Ordem do Dia” para a RTP2.

Nomeado para Melhor Actor de Televisão nas categorias Série, Minissérie ou Telefilme – Prémios Fantastic