Manuela Couto

Manuela Couto ( Setúbal,17 de Fevereiro de 1964) iniciou a sua actividade profissional em 1982 no Teatro de Animação de Setúbal, sob a direcção de Carlos César, onde se manteve até 1985.   Também em 1982 iniciou o Curso de Formação de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema do Conservatório Nacional de Lisboa, onde teve como professores, entre outros, Germana Tânger, Eurico Lisboa, Rui Mendes e João Mota , com quem viria a iniciar um longo período de trabalho em 1986, ano em que termina o Curso e inicia o seu trabalho na Comuna Teatro de Pesquisa, onde se manteve por quinze anos. Durante esse período interpretou diversos papéis em mais de quatro dezenas de espectáculos, dos mais diversos estilos e autores. Trabalhou com vários encenadores : Fernando Gomes, Alfredo Brissos, Álvaro Correia, Cristina Carvalhal, Fernanda Lapa, Almeno Gonçalves e Marcos Barbosa.

  No cinema trabalhou com Jorge Silva Melo, José Nascimento, Cláudia Varejão, Tiago Guedes , Frederico Serra, António Pedro Vasconcelos, Leonel Vieira , Vicente Alves do Ó e, em Espanha, Marcel Barrena.

  Em 2002 inicia uma actividade mais regular na Televisão, tendo participado em diversas novelas, séries e telefilmes, também na direcção de actores, em projectos como “Casos da Vida” a série “Equador”, “Massa Fresca”.

  Deu aulas de interpretação, no Curso de Interpretação para Televisão sob a direcção de Nicolau Breyner, na Universidade Lusófona e na NBA (Nicolau Breyner Academia) e em 2009/2010 dirigiu o Departamento de Elencos da Produtora Plural Entertainment.

  Em 1992 recebe o Prémio Sete de Ouro- Actriz Revelação com a peça “Má Sorte Ter Sido Puta”, com encenação de João Mota.

  Em 2006 recebe o Prémio Lux- Personalidade de Cinema com o filme “Coisa Ruim” de Tiago Guedes e Frederico Serra e em 2005, 2006, respectivamente, foi nomeada para os globos de Ouro na categoria de Teatro e Cinema.

  Em Setembro de 2016, foi agraciada com a Medalha de Honra da cidade de Setúbal, na Classe de Actividades Culturais.