Teresa Coutinho

Nasceu no Porto, em 1988.

Licenciada em Interpretação pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, completou o último ano da sua formação na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa.

Em 2016, fez a École des Maitres, edição orientada por Christiane Jatahy.

Participou em workshops nas áreas da interpretação, movimento e dramaturgia, destacando as experiências com a companhia holandesa KASSYS, com Jos Houben na École Jacques Le Coq em Paris e com Beatriz Batarda.

Como actriz, trabalhou com Christiane Jatahy, Rogério de Carvalho, Ricardo Neves-Neves, Raquel Castro, Maria João Luís, Maria Duarte, Companhia Os Possessos, Nuno M. Cardoso, entre outros.

Criou e escreveu O ETERNO DEBATE (2018), WAYS OF LOOKING (2017) com Guilherme Gomes, a partir da obra de John Berger, AGORA EU ERA – espectáculo para a infância (2017) com Catarina Santiago Costa e Pedro Moura, INDICAÇÃO PARA SE PERDER (2014) a partir da obra de Marguerite Duras, com Constança Carvalho-Homem e o micro-espectáculo AMANHÃ Á MESMA HORA (2012).

Como assistente de encenação, trabalhou com Tiago Rodrigues, Faustin Linyekula, Beatriz Batarda e Natália Luiza.

É responsável, em 2018, pela digressão internacional do espectáculo Ça Ne Se Passe Jamais Comme Prévu de Tiago Rodrigues, nomeadamente no Theatre de Vidy, Theatre de l’Aquarium, Le Printemps des Comédiens, Les Nuits de Fourvières e Theatre du Loup.

Integra ainda a equipa de assistência de Mónica Calle no espectáculo Virgem Doida, em Paris, programado no âmbito do festival Chantiers d’Europe 2013.

Em cinema, realça o trabalho com Marco Martins, com Gonçalo Waddington e com João Sousa Cardoso.

É, desde 2016, coordenadora do ciclo de poesia ‘Clube dos Poetas Vivos’ no TNDM II.

Coordenou, em 2016, o workshop a partir do texto de Cláudia R.Sampaio ‘Ode Inacabada’, com os grupos amadores participantes no projecto PANOS, na Culturgest.